sábado, 18 de novembro de 2017


GOTAS DE PAZ

 

 

FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER

EMMANUEL

 


 

Examina os teus desejos e vigia os próprios pensamentos, porque onde situares o coração aí a vida te aguardará com as asas do bem ou com as algemas do mal.
 

 

Quem estiver procurando a inspiração dos Anjos, não se esqueça dos lugares onde os Anjos colaboram com o Céu, diminuindo o sofrimento e a ignorância na Terra

 

Ama o serviço que o Senhor te confiou, por mais humilde que seja, e oferece-lhe as tuas melhores forças, porque do que hoje fazes bem, no proveito de todos, retirarás amanhã o justo alimento, para a obra que te erguerá do insignificante esforço terrestre para o trabalho espiritual.

 

Tão pequeninas, as gotas d’água reunidas formam os mares, os rios e as fontes que sustentam a vida na terra.

Sem elas, o nosso mundo seria apenas um imenso deserto.

Assim são as palavras. Isoladas, são desenhos diminutos, sem muita expressão.

Entretanto, reunidas pela inteligência humana, formam os livros, os poemas e os documentos que ilustram os povos.

Sem elas não teríamos a Historia da Humanidade.

 
 

Lembremo-nos de que a Terra é simplesmente um degrau em nossa escalada para os cimos resplendentes da vida e, acordados para as oportunidades do serviço, avancemos para diante, aprendendo e amando, auxiliando aos outros e renunciando a nós mesmos, na certeza de que, assim, caminharemos do infortúnio de ontem para a felicidade de amanhã.

 
 

Em qualquer crise da existência, conserva a calma construída, de vez que os nossos estados mentais são contagiosos e, asserenando os outros, estaremos especialmente agindo em auxilio a nós mesmos.

 

Quem se encontre imóvel no tempo, recorde que o tempo não pára, nem retrocede.

 

Cada pessoa com a qual entres em contato é uma pagina do livro que estás escrevendo com a própria vida.

 
 

Não exijas de alguém aquilo que esse alguém ainda não te pode dar.

 

Aceita o fracasso por base de recomeço.

 

Deus nos releva as faltas, na certeza de que aprenderemos igualmente a perdoar as ofensas e os erros alheios.

 

E Deus não sai do silencio para se promover, esperando que cada um de nós, frente uns aos outros, possa também fazer isso.

 

Todo rio procede de uma nascente simples. A maioria dos incêndios se alteia de uma faísca. Assim também sucede com o suicídio e a delinquência: a reclamação demasiadamente repetida; o grito inesperado desarticulando o equilíbrio emocional de quem ouve; o gesto de irritação; a frase de critica; a explosão do ciúme; o confronto infeliz; a queixa exagerada; a exigência sem razão; a palavra de insulto; a resposta á base de zombaria; ou o compromisso desprezado...

Qualquer dessas manifestações, aparentemente sem importância, pode ser o inicio de lamentáveis perturbações.

 

Valoriza o tempo e não te concedas o luxo das horas vazias.

 

Vive a própria vida e deixa que os outros vivam a existência que o céu lhes concedeu.
 

Recorda: toda criatura neste mundo tem um recado a dizer.

Aquilo que fazes é a noticia de tua presença.

 
A paz em ti será paz nos outros e todos nós, seja aqui ou além, necessitamos de paz, a fim de viver fazendo o melhor.

Usa a paciência e a tolerância.

Age sem apego.

 

Há sempre alguém naufragando no mar das dificuldades humanas.

Alonga o próprio olhar e identificarás as oportunidades de servir que se destacam à mostra.

 
Não reclames nos outros, qualidades que ainda não possuis.

 

Não olvides o treinamento de coragem e de bom-ânimo, dos quais necessitarás nos momentos difíceis da vida.

 

Colabora, quanto possível, no bem dos semelhantes, sem exigir remunerações.

Hoje, é possível que esse ou aquele amigo necessite de ti, entretanto, amanhã, é possível sejamos nós os necessitados.
 

Em qualquer agitação exterior, mantém a serenidade necessária para que não destrua a formação do auxilio que já estará na direção do teu próprio endereço.

Conserva a fé em Deus e em te mesmo.
 

Deus nos concede o privilegio de trabalhar, a fim de agir por nós mesmos, e para que tenhamos a bênção de substituir aqueles que ainda não entendem a felicidade de trabalhar.

 
Muitas vezes, a jóia que perdeste te livrou de perigosa agressão.

 

Para quantos confiam na Divina Providência surge sempre um caminho para a solução dos problemas que se lhes fizeram necessários.

Venham às crises e as dificuldades que vierem, resguarda-te na tolerância e espera.

 
Todos aqueles que confiam em Deus, que lhe sentem a presença, que lhe aceitam os desígnios, que lhe ouvem a voz no imo da consciência, que bendizem o lugar em que Deus os colocou, que suportam dificuldades e tropeços, sem revolta e sem queixa, na certeza de que se acham sob a proteção de Deus, que procuram servir não próximo em Seu Nome, e que esquecem as ofensas sofridas, lembrando-lhe a misericórdia, jamais cairão em qualquer vale do desespero.

 

Se alguém te fere, desculpa e esquece, lembrando que o espinho dilacera porque não tem a contextura da flor.

 
Em todos os lances constrangedores da experiência humana é razoável nos façamos a palavra de bom ânimo e o gesto de apoio espontâneo para todos aqueles que nos cercam.

Ama sempre, sem reclamar compensações que talvez te fizessem parar na trilha para o bem. Sobretudo, não acredites em facilidades ou vantagens sem preço.

 
Quem fala de paciência se refere à esperança. Em vista disso, paciência quer dizer: “saber esperar.”

Não dramatizes os obstáculos em que te encontras perdendo tempo.

Continua agindo e servindo para o bem. O teu silencio por ti muito mais.

 

Por maiores se te façam as tribulações terrestres, não percas a fé na Providencia Divina. Dificuldades aparecem.

Sonhos caem, à maneira de flores, para se transformarem nos frutos da experiência. Surgem doenças, conflitos, entraves e inquietações. O desanimo te ameaça. Entretanto, não te deixes abater.

Continua oferecendo à vida o melhor de ti mesmo, trabalhando e servindo sempre. E, assim, chegará o momento em que descobrirá, no próprio coração, a presença de Deus.

 
Nunca prejudicarás a alguém sem prejudicar-te e nunca beneficiaras a essa ou aquela pessoa, sem beneficiar a ti mesmo.

 
O remorso é um lampejo de Deus sobre o complexo de culpa que se expressa por enfermidade da consciência. O sofrimento é a terapia de Deus, destinada a erradicá-la.

Se alguém te ofendeu, perdoa sem delonga.

Se feriste a outrem, reconsidera o gesto impensado e solicita desculpas de imediato.

 
Companheiros se foram? Deus jamais te abandona.

Conservas as diretrizes do bem e segue com Deus. Age.

Deus te inspira. Cala-te. Deus falará por ti no idioma das circunstâncias. Não temas. Deus está velando. Trabalha e auxilia aos outros. Deus trabalha por ti.

 

Progresso é sinônimo de suor. Sublimação é o outro nome da renuncia.

Não te omitas na hora da provação.

Onde estiveres, recorda que Deus nos ama e guia sempre.

Não temas o caminho. Onde o bem permanece Deus está.

sexta-feira, 17 de novembro de 2017


A União

Meimei

 

Observemos a síntese grandiosa que a natureza nos oferta, sob a forma da sábia lição, que reporta-se às leis dos esforços em conjunto.

No Cosmos Grandioso, onde cintilam milhões de corpos celestes, também faz sentir a sublimidade desta lei. Pois vemos que, no cortejo imenso dos astros, existe a harmonia em todas as trajetórias.

Bastaria um só corpo celeste, por pequenino que fosse, não cooperar no conjunto, para que cataclismos de grande proporções adviessem como resultado. As leis magnéticas de atração e repulsão precisam estar em perfeita conjunção de esforços,para haver o equilíbrio.

Aqui na terra, também vemos a natureza sempre nos dar singelos exemplos.

Uma pérola que tivesse hábitos solitários, não poderia formar sozinha o conjunto harmonioso de um colar custoso.

Uma garoa de água, que teimasse em desprender sozinha da nuvem alentada, não poderia irrigar o solo árido pois sua capacidade de trabalho seria restrita.

Um tijolo, por mais que tenha boa vontade, se teimar em estar sozinho sem a cooperação de outros tijolos seus irmãos, não poderá, nas mãos de hábil arquiteto, se transformar em acolhedora vivenda.

Em tudo é preciso conjunto para mais fácil e eficiente se tornar a tarefa a ser empreendida.

Copiemos a natureza com nossos atos, sendo unidos em nossos empreendimentos. Se assim fizermos, mais facilmente venceremos os obstáculos.

E como cooperadores da Seara do Divino Mestre, porque não unirmos nossos esforços, para, em conjunto, edificarmos algo que seja útil para a Humanidade?

 

quinta-feira, 16 de novembro de 2017


BENEFICÊNCIA
 
Emmanuel
 
Todo pão que repartes
É valor que acumulas.
Agasalho que dês
Faz-se apoio a ti mesmo.
Coragem que transmitas
È uma luz que te segue.
Ofensa que perdoas
É a paz que te acompanha.
Não esperes dos outros
Compensações quaisquer.
De todo bem o que faças
A resposta é de Deus.
 
 
DISSERAM
 
Emmanuel
 
Que não vencerás em teus empreendimentos;
que o teu doente querido está no clima da morte;
que atravessarás longa noite de provações;
que não mais encontrarás o trabalho que mais desejas;
que não te recuperarás de certas perdas sofridas;
que não realizarás os sonhos que acalentas;
que os entes amados distantes de ti nunca mais te voltarão ao convívio; que o desgaste do corpo físico não mais te permitirá as realizações que tanto almejas;
que, por essa ou aquela falta, andarás sobre a Terra constantemente sobre pedras e espinhos.
Tudo isso disseram...
Entretanto, continua agindo e servindo, orando e esperando, porque as opiniões de Deus são diferentes.
 
 
MOMENTOS DE PAZ
 
 
FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER
EMMANUEL

quarta-feira, 15 de novembro de 2017


Na Tarefa Mediúnica

 

(Entrevistando o médium Francisco Cândido Xavier – Geraldo Lemos Neto, União espírita Mineira).

 

-No seu primeiro encontro com Emmanuel, ele enfatizou muito a disciplina. Teria falado algo mais depois?

 

-Depois de haver salientado a disciplina como elemento indispensável a uma boa tarefa mediúnica, ele me disse:

-Temos algo a realizar.

Repliquei de minha parte qual seria esse algo e o Benfeitor esclareceu:

-Trinta livros para começar.

Considerei então de minha parte:

-Como avaliar está informação se somos uma família sem maiores recursos além do nosso próprio trabalho diário, e a publicação de um livro demanda muito dinheiro...

Já que meu pai lidava com bilhetes de loteria, eu acrescentei:

-Será que meu pai vai ganhar a sorte grande?

Emmanuel respondeu:

-Nada, nada disso, a maior sorte grande é o trabalho com a fé viva na Providência Divina. Os livros chegarão através de caminhos inesperados.

Algum tempo depois, enviando as poesias do “Parnaso de Além-Túmulo” para um dos diretores da Federação Espírita Brasileira, tive a grande surpresa de ver o livro aceito e publicado em 1932.

A este livro se seguiram outros e, em 1947, atingíamos os trinta livros.

Ficamos muito contentes e perguntei ao Amigo Espiritual se a tarefa estava terminada.

Ele então considerou, sorrindo:

-Agora começaremos uma nova série de trinta volumes.

Em 1958 indaguei-lhe novamente se o trabalho finalizara.

Os sessenta livros estavam publicados e eu me encontrava quase de mudança para a cidade de Uberaba, aonde cheguei a 5 de janeiro de 1959.

O grande Benfeitor explicou-me com paciência:

-Você perguntou em Pedro Leopoldo se a nossa tarefa estava completa e quero informar-lhe que os Mentores da Vida Maior, perante os quais devo também estar disciplinado, advertiram-me que nos cabe chegar ao limite de cem livros.

Fiquei muito admirado e as tarefas prosseguiram.

Quando alcançamos o número de vem volumes publicados, voltei a consultá-lo sobre o termo de nossos compromissos.

Ele esclareceu, com bondade:

-Você não deve pensar em agir e trabalhar com tanta pressa.

Agora estou na obrigação de dizer-lhe que os Mentores da Vida Superior, que nos orientam, expediram certa instrução que determina seja a sua atual reencarnação desapropriada, em benefício da divulgação dos princípios espíritas cristãos, permanecendo a sua existência, no ponto de vista físico, à disposição das Entidades Espirituais que possam colaborar na execução do programa das mensagens e livros, enquanto o seu corpo se mostre apto para as nossas atividades.

Muito desapontado, perguntei:

-Então devo trabalhar na recepção de mensagens de livros do Mundo Espiritual até o fim da minha vida atual?

-Emmanuel, acentuou:

-Sim, não temos outra alternativa.

Naturalmente, impressionado com o que ele dizia, voltei a interrogar:

-E se eu não quiser, já que a Doutrina Espírita nos ensina que somos portadores do livre-arbítrio para decidir sobre os nossos próprios caminhos?

Emmanuel fez então um sorriso de benevolência paternal e me cientificou:

-A instrução a que me refiro é semelhante a um decreto de desapropriação, quando lançado por autoridade da Terra.

Se você recusar o serviço a que me reporto, segundo creio, os Orientadores dessa obra de nos dedicarmos ao Cristianismo Redivivo, de certo que eles, os Orientadores, terão autoridade bastante para retirar você do seu atual corpo físico.

Quando eu ouvi esta declaração dele silenciei para pensar na gravidade do assunto, e continuo trabalhando sem a menor expectativa de interromper ou dificultar o que passei a chamar por “Desígnios de Cima”.

 

(Espírito Mineiro – Belo Horizonte, Minas, abril/junho de 1988).

 

NOVO MUNDO

 

FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER

EMMANUEL

terça-feira, 14 de novembro de 2017


Na Esfera Íntima

Emmanuel

 

"Cada um administra aos outros o dom como o recebeu,

como bons dispersadores de multiforme graça de Deus.

--Pedro -I Pedro, 4-10.

 

A vida é máquina divina da qual todos os seres são peças importantes e a cooperação é o fator essencial na produção da harmonia e do bem para todos.

Nada existe sem significação.

Ninguém é inútil.

Cada criatura recebeu determinado talento da Providência Divina para servir no mundo e para  receber do mundo o salário da elevação.

Velho ou moço, com saúde do corpo ou sem ela, recorda que é necessário movimentar o dom que recebeste do Senhor para avançar na direção da Grande Luz.

Ninguém é tão pobre que nada possa dar de si mesmo.

O próprio paralítico, atado ao catre da enfermidade, pode fornecer aos outros a paciência e a calma, em forma de paz e resignação.

Não olvides, pois, o trabalho que o Céu te conferiu e foge à preocupação de interferir na tarefa do próximo, a pretexto de ajudar.

Quem cumpre o dever que lhe é próprio, age naturalmente a benefício de equilíbrio geral.

Muitas vezes, acreditando fazer mais corretamente que os outros, o serviço que lhes compete, não somos senão agentes de desarmonia e perturbação.

Onde estivermos, atendamos com diligência e nobreza a missão que a vida nos oferece.

Lembra-te de que as horas são as mesmas para todos e de que o tempo é o nosso silencioso e inflexível julgador.

Ontem, hoje e amanhã são três fases do caminho único.

Todo dia é ocasião de semear e colher.

Observemos, assim, a tarefa que nos cabe e recordemos a palavra do Evangelho -"cada um administre aos outros o dom como o recebeu, como bons dispensadores da multiforme graça de Deus", para que a graça de Deus nos enriqueça de novas graças.

RELICÁRIO DE LUZ

 

FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER

 

segunda-feira, 13 de novembro de 2017


Pequeno Decálogo do Serviço Espiritual

André Luiz

 

SE procuras materializar o espírito, espiritualiza a matéria.

SE desejas aumentar o uso da alma, diminui o uso da carne.

SE buscas receber, aprende também a dar de ti mesmo.

SE pretendes encontrar a luz, foge à sombra.

SE buscas verdadeiramente o bem, evita o mal.

SE aspiras a integração com a Verdade, abstém-te da fantasia.

SE julgas privilégio desagradável nos outros, não reclames prerrogativas ao teu círculo pessoal.

SE esperas realização nobre, não olvides o trabalho incessante, a persistência no bem, o estudo edificante, a sementeira benéfica e o serviço desinteressado aos semelhantes.

SE aguardas a revelação dos Céus, revela-te com humildade diante do Senhor e diante de teus irmãos, com espírito de reconstrução do próprio destino.

SE buscas a benção consoladora na Doutrina dos Espíritos, sob a inspiração de Jesus, nosso Mestre e Senhor, traze com alegria o Espiritismo por fora, mas não te esqueças de conservar o Evangelho por dentro.

 

RELICÁRIO DE LUZ

 

FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER

domingo, 12 de novembro de 2017


Coragem
Agar
 
Conservar a coragem por luz acesa, no centro de nossa alma, é serviço que apenas a fé invencível consegue realizar.
Coragem de transpor os espinheiros e os charcos da jornada humana...
Coragem de sorrir compadecidamente para aqueles que nos magoam...
Coragem de ajudar aos que nos ferem...
Coragem de recomeçar a construção dos nossos ideais sobre as ruínas de nossos próprios sonhos...
Coragem de prosseguir amando aqueles que se convertem, irrefletidamente, em adversários gratuitos de nossa paz...
Coragem de usar a tolerância para o mal dos outros e de aplicar a justiça para com o mal de nós mesmos...
É para essa coragem que Jesus nos chama, da cruz de sacrifício em que nos legou o supremo perdão.
È preciso saber com Ele “tudo perder para tudo encontrar”.
E, nas chagas de cada dia, sobre a Terra, surpreendemos o abençoado ensejo de alijar as sombrias cargas de nosso pretérito culposo para fruir a verdadeira felicidade a que o Céu nos destina.
Para alcançarmos semelhante vitória, porém, é necessário que a coragem seja a nossa companheira de todos os instantes no pedregoso caminho de nossa ascensão.
Não podemos dispensar o bom animo nas tarefas a que fomos arrebatados.
Procuremos observar a vida não como a “existência fragmentária do século”, mas sim em sua totalidade sublime. E estejamos certos de que na contemplação dessa realidade, viveremos conformados ante os Desígnios de Deus que, pouco a pouco, ante a extinção das causas de nossos padecimentos morais, nos modificarão a estrada no rumo bem-aventurado do porvir.
 
RELICÁRIO DE LUZ
 
FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER

sábado, 11 de novembro de 2017


Parentes mortos

 

 

Não olvides que além da morte continua vivendo e lutando o espírito amado que partiu...

Tuas lágrimas são gotas de fel em sua taça de esperança.

Tuas aflições são espinhos a se lhe implantarem no coração.

Tua mágoa destrutiva é como neve de angústia a congelar-lhe os sonhos.

Tua tristeza é sombra a escurecer-lhe a nova senda.

Por mais que a separação te lacere a alma sensível, levantate e segue para a frente, honrando-lhe a confiança com a fiel execução das tarefas que o mundo te reservou.

Não vale a deserção do sofrimento, porque a fuga é sempre a dilatação do labirinto que nos arroja à invigilância, compelindo-nos a despender longo tempo na recuperação do rumo certo.

Recorda que a lei de renovação atinge a todos e auxilia quem te antecedeu na grande viagem com o valor de tua renúncia e com a fortaleza de tua fé, sem esmorecer no trabalho - nosso invariável caminho para o triunfo.

Converte a dor em lição e a saudade em consolo porque, de outros domínios vibratórios, as afeições inesquecíveis te acompanham os passos, regozijando-se com as outras tuas vitórias solitárias, portas adentro de teu mundo interior.

Todas as provas objetivam o aperfeiçoamento do aprendiz e, por enquanto, não passamos de meros aprendizes na terra, amealhando o conhecimento e a virtude, em gradativa e laboriosa ascensão para a vida eterna.

Deus, a suprema sabedoria e a suprema bondade, não criaria a inteligência e o amor, a beleza e a vida, para arremessá-la às trevas.

Repara em torno dos teus próprios passos. A cada noite no mundo, segue-se o esplendor do alvorecer.

O inverno áspero é sucedido pela primavera estuante de renascimento e floração.

A lagarta, que hoje se arrasta no solo, amanhã librará em pleno espaço com asas multicores de borboleta.

Nada perece.

Tudo se transforma na direção do infinito bem.

Compreendendo, desta forma, a verdade, entesourando-lhe as bênçãos, aprendamos a encontrar na morte o grande portal da vida e estaremos incorporando, em nosso próprio espírito, a luz inextinguível da gloriosa imortalidade.

Emmanuel

 

PAZ E LIBERTAÇÃO

 

FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER

ESPÍRITOS DIVERSOS

sexta-feira, 10 de novembro de 2017


RECEITA  PARA  TODOS  OS  MALES


 

 
 

Discutir não alimenta.

Reclamar não resolve.

Revolta não auxilia.

Desespero não ilumina.

Tristeza não leva a nada.

Lágrima não substitui suor.

Irritação intoxica.

Deserção agrava.

Calúnia responde sempre com o pior.

Para todos os males, só existe um medicamento de eficiência comprovada.

Continuar na paz, compreendendo, ajudando, aguardando o concurso sábio do Tempo, na certeza de que o que não for bom para os outros não será bom para nós.

 

Albino Teixeira.

quinta-feira, 9 de novembro de 2017


NOSSO GRUPO[1]


André Luiz

 

“Nosso grupo de trabalho espírita-cristão, em verdade, assemelha-se ao campo consagrado à lavoura comum.

Almas em pranto que o procuram simbolizam terrenos alagadiços que nos cabe drenar proveitosamente.

Observadores agressivos e rudes são espinheiros magnéticos que devemos remover sem alarde.

Frequentadores enquistados na ociosidade mental constituem gleba seca que nos compete irrigar com carinho.

Criaturas de boa índole, ainda vacilantes na fé, expressam era frágil que nos pede socorro até que o tempo as favoreça.

Confrades irritadiços, padecendo melindres pessoais infindáveis, são os arbustos carcomidos por vermes de feio aspecto.

Irmãos sonhadores, eficientes nas ideias e negativos na ação, representam flores improdutivas.

Pedinchões inveterados, que nunca movem os braços nas boas obras, afiguram-se-nos folhagem estéril que precisamos suportar com paciência.

Amigos dedicados ao mexerico e ao sarcasmo são pássaros arrasadores que prejudicam a sementeira.

O companheiro, porém, que traz consigo o coração para servir, é o semeador que sai com Jesus a semear, ajudando incessantemente a execução do Plano Divino e preparando a seara do Amor e da Sabedoria, em favor da Humanidade, no Futuro Melhor “.

 

[1] XAVIER, Francisco Cândido. Coragem. Espíritos Diversos. Minas Gerais: CEC, 1985.


quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Retorno ao ano 2001



 
10 dos 19 idosos albergados: esq. para dir.: Antônio, Detinho,  Miguel, Casimiro, Mimosa, Ascendino, Rita, Cidália, Cibito e Chiquinha. Em setembro de 2001.








 
ROGATIVA DO SERVIDOR

 

Senhor Jesus!

Não nos retires dos ombros o fardo das responsabilidades com o qual nos ensina  a praticar entendimento e cooperação, mas auxilia-nos a transportá-lo, sob os teus desígnios.

Não nos afastem dos obstáculos com que nos impeles à aquisição da confiança e não avaliam as dimensões da fé, no entanto, ampara-nos Senhor, para que possamos transpô-los.

Não nos desligues dos problemas com que nos impulsionas para o caminho da elevação das nossas próprias experiências, contudo, dá-nos a tua benção, a fim de que venhamos a resolvê-los com segurança.

Não nos deixes sem o convívio com os irmãos irritadiços ou infelizes, que se nos fazem enigmas no cotidiano, junto dos quais nos convidas ao aprendizado da serenidade e da paciência, mas protege-nos os corações e ilumina-nos a estrada de modo a que nos transformemos para todos eles em refúgio de apoio e socorro de amor.

Enfim, Senhor, dá-nos, a cada dia, o privilégio de servir, entretanto, infunde em nossas almas o poder da compreensão e da tolerância, do devotamento e da caridade para que possamos estar contigo, tanto quanto permaneces conosco, hoje e sempre.

Do livro “Estradas e Destinos” editora CEU,  psicografia de Chico Xavier.