terça-feira, 17 de outubro de 2017


 

VIGIAI E ORAI

"O cristão é chamado a servir em toda parte.

Na casa do sofrimento, ministrará con­solação.

Na furna da ignorância, fará esclareci­mento.

No castelo do prazer, ensinará a mode­ração.

No despenhadeiro do crime, sustará quedas.

No carro do abuso, exemplificará so­briedade.

Na toca das trevas, acenderá luz.

No nevoeiro do desalento, abrirá por­tas ao bom ânimo.

No inferno do ódio, multiplicará bênçãos de amor.

Na praça da maldade, dispensará o bem.

No palácio da justiça, colocar-se-á no lugar do réu, a fim de examinar os erros dos outros.

Em todos os ângulos do caminho, en­contraremos sugestões do Senhor, desafian­do-nos a servir."


-  André Luiz

segunda-feira, 16 de outubro de 2017


CEM POR UM.

 

Ócio, em qualquer parte, constitui esbanjamento.

Tudo vibra em perpétua movimentação, sem vácuo ou inércia na substância das coisas.

O corpo humano e o corpo espiritual são construções divinas a se estruturarem sobre forças que se combinam e trabalham constantemente em dinamismo santificante, por nossa vez, peças atuantes do Evangelho Vivo, demonstrando que o serviço é condição de saúde eterna.

Insculpe por onde passes o rasto luminoso do entendimento. Edifica o bem, seja escutando o riso dos felizes ou assinalando o soluço dos companheiros desditosos, criando rendimento nos tesouros imperecíveis da alma.

Ampara e ajuda a todos, desde a criança desvalida, necessitada de arrumo e luz para o coração, até o peregrino sem teto, hóspede errante das árvores do caminho.

Conserva por medalhas de mérito os calos nas mãos que abençoam servindo, a fadiga nos músculos que auxiliam com entusiasmo, o suor na fronte que colabora pela felicidade de todos os rasgões que te recordam as feridas encontradas no cumprimento de austeras obrigações.

Oremos na atividade construtiva que não descansa.

Cantemos ao ritmo da perseverança feliz.

Respiremos no hausto da solidariedade sem mescla.

A caridade converte o sacrifício em deleite, o cansaço em repouso, o sofrimento em euforia.

Ar puro – desfaz as emanações malsãs; água límpida – dissolve os detritos da sombra; sol matinal – dissipa as trevas...

Mãos vazias ou cabeça desocupadas denunciam coração ocioso.

Sê companheiro da aurora, despertando junto com o dia nas obras de paciência e bondade, sustento e elevação.

A seara do Senhor no solo infatigável do tempo guarda riquezas inexploradas e filões opulentos.

Aquele que grafa uma página edificante, semeia um bom exemplo, educa uma criança, fornece um apontamento confortador, entretece uma palestra nobre ou estende uma dádiva, recolherá, cem por uns todos os grãos de amor que lançou na sementeira do Eterno Bem, laborando com a Vida para a Alegria Sem Fim.

EURÍPEDES BARSANULFO

 

domingo, 15 de outubro de 2017


Vingança
Emmanuel
 
Vinga-te da ignorância, instruindo-a sem alarde e sem pretensão.
Retribui ao que te persegue com a prece do amor que compreende e auxilia sempre.
 
Responde ao mal com o bem.
Vinga-te das trevas, acendendo a verdadeira luz.
 
Retribui a maldição com a benção.
Responde à preguiça com o trabalho.
 
Auxilia ao que te prejudica.
Ampara ao que te abandona.
 
Lembra-te com bondade daqueles que te esqueceram.
Auxilia aos teus adversários.
 
Socorre aos que te ferem e caluniam.
Estende mãos amigas aos que te dilaceram.
 
O bom lavrador vinga-se da terra seca, adubando-a para que produza.
 
Jesus mostrou ao mundo o tipo de esforço ideal que realmente garante o amor que regenera sem ruído.
 
Retribui à inquietação dos carrascos com a generosidade do silêncio.
 
Responde à violência dos crucificadores com a graça de perdão.
 
Por abandonado e esquecido pelos discípulos mais amados, não se esquece deles, nosso Divino Mestre, e regressa do túmulo em gloriosa ressurreição, não para reclamações e lamentos, mas, sim para auxiliá-los, na redenção do mundo, até o fim dos séculos...
 
Se algum propósito de vingança te penetra o espírito, nas ocasiões escuras da Terra, comparece com ele à presença do Senhor, através da oração e Jesus te ensinará a praticar, em teu próprio benefício, a silenciosa e celeste reposta do amor.
 
"Doutrina e Aplicação", de Francisco Cândido Xavier, por Espíritos Diversos.

sábado, 14 de outubro de 2017


A Entrevista
 

 

A jovem, pela manhã, procurou o futurólogo e desabafou:

- Tenho sofrido demais. Parece que a má sorte não me perde de vista. Que me aconselha o senhor para ser feliz?

O interpelado indicou o fulgor do Sol nas árvores próximas e replicou, otimista:

- A felicidade mora com o trabalho. Procure servir e conseguirá encontrá-la facilmente...

E apontando para a luz, lá fora, concluiu:

- Lembre-se de que estamos à frente de um dia novo, um dia absolutamente sem igual.

A moça entendeu a advertência, formulada com carinho, entretanto, voltou a indagar:

- Mas o senhor acredita que serei feliz nesta vida?

O experiente amigo sorriu e considerou:

- Filha, isso não sei. Posso dizer-lhe apenas que a vida é uma viagem, cujos episódios dependem de nós e não me consta que já estejamos na vizinhança do porto.

A jovem começou a pensar e o amigo futurólogo deu por finda a entrevista.

 

JÓIA

 

FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER

EMMANUEL E ANDRÉ LUIZ

sexta-feira, 13 de outubro de 2017


Aprender e Recomeçar

 

Dizes que não tens condição para as obras da fé porque erraste.

Erraste e sofreste.

Sofreste e temes a crítica.

É possível que ainda lutes contigo mesmo.

Entretanto, não recuses o convite do bem que te chama a servir.

Esquece-te e caminha.

O trabalho em auxílio aos outros te fará profunda e bela renovação.

A bênção do Senhor te sustentará/

Se não crês no Amparo do Alto, observa a lição do Sol.

O astro do dia, vestido em luz pura e imensa, está sempre reiniciando o próprio trabalho, em cada hemisfério da Terra.

Pensemos nisso aprende a recomeçar.

 

 

MATERIAL DE CONSTRUÇÃO

 

FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER

EMMANUEL

quinta-feira, 12 de outubro de 2017


ALGUMAS ATITUDES QUE O ORADOR ESPÍRITA DEVE EVITAR
 
Falar sem antes buscar a inspiração dos Bons Espíritos pelos recursos da prece.
Desprezar as necessidades dos circunstantes.
Empregar conceitos pejorativos, denotando desrespeito ante a condição dos ouvintes.
Introduzir azedume e reclamações pessoais nas exposições doutrinárias.
Atacar as crenças alheias, conquanto se veja na obrigação de cultivar a fé raciocinada, sem endosso a ritos e preconceitos.
Esquecer as carências e as condições da comunidade a que se dirige.
Censurar levianamente as faltas do povo e desconhecer o impositivo de a elas se referir, quando necessário, a fim de corrigi-las com bondade e entendimento.
Situar-se em plano superior como quem se dirige do alto para baixo.
Adotar teatralidade ou sensacionalismo.
Veicular consolo em bases de mentira ou injúria, em nome da verdade.
Ignorar que os incrédulos ou os adventícios do auditório são irmãos igualmente necessitados de compreensão quais nós mesmos.
Fugir da simplicidade.
Colocar frases brilhantes e inúteis acima da sinceridade e da lógica.
Nunca encontrar tempo para estudar de modo a renovar-se com o objetivo de melhor ajudar aos que ouvem.
Ensinar querendo aplausos e vantagens para si, esquecendo-se do esclarecimento e da caridade que deve aos companheiros.
- Ide e pregai o Evangelho, conclamou-nos o Cristo. E o Espiritismo, que revive o Evangelho do Senhor, nos ensina como pregar a fim de que a palavra não se faça vazia e a fé não seja vã.
        Do livro “Estude e viva”